historia1

A história de Eric Takabatake no judô não é diferente da de milhares de brasileiros que começam a praticar a modalidade por causa de seus valores e sua filosofia. O mais velho entre três irmãos, Eric começou no judô aos nove anos de idade no clube Mesc (Movimento de Expansão Social Católica), próximo a sua casa em São Bernardo, levado por sua mãe Mary.

“Sempre pratiquei esportes, desde pequeno, mas nada como competição. Minha mãe me colocou no judô do Mesc aos nove anos por causa da disciplina, e eu acabei gostando muito. Só fui começar a competir uns dois anos depois, em alguns festivais”, comenta Eric.

historia2

Com o passar dos anos, Eric começou a disputar torneios mais importantes no judô. Aí então veio a primeira dica de que a modalidade poderia ser mesmo o futuro do garoto nos anos seguintes.

“As coisas começaram a ficar um pouco mais sérias quando tinha 13 anos. Ganhei minha primeira seletiva para viajar para o Campeonato Brasileiro. Acabei ganhando Campeonato Paulista também, e a partir daí fui me destacando cada vez mais”, explica Eric. A partir dali, o jovem começava a disputar campeonatos mais importantes, como Brasileiros e Pan-Americanos, e passar pelas Seleções juvenil e Junior.

historia3

Ganhando cada vez mais destaque nas competições pelo Mesc, Eric avistou uma oportunidade de ir para um dos clubes mais tradicionais do Brasil, o Pinheiros, e disputar competições ainda mais importantes para sua carreira.

“Conheci o clube quando era juvenil, pois algumas pessoas de São Bernardo já tinham falado muito bem do judô no Pinheiros, de toda estrutura. Então em 2011, com 20 anos, eu quis mudar para começar a viajar mais, mas acabei ficando mais um ano no Mesc”, conta Eric.

historia4

Depois dessa oportunidade de disputar o Grand Slam do Rio de Janeiro, Eric começou a ganhar cada vez mais experiência. “Com esse campeonato o pessoal acabou gostando do meu judô e fui indicado para a seletiva. Ganhei e acabei entrando para a Seleção Principal para o ano de 2013”, comenta. Porém, Eric acabou não entrando no ranking e teve de disputar novamente em 2013 uma Seletiva para entrar na Seleção.

Foi no ano de 2014 então que Eric finalmente conseguiu se estabilizar como um dos principais judocas brasileiros em sua categoria e apresentou bons resultados em grandes competições internacionais. A vitória no Pan-American Open de Buenos Aires e as importantes pratas nos Grand Prix de Havana e Ulaanbaatar o colocaram no Top-20 do ranking mundial.

historia5

Com os importantes resultados apresentados em 2014, Eric foi convocado para a Seleção Brasileira que disputaria o Mundial de Chelyabinsk, na Rússia. Seria o primeiro Mundial da carreira do jovem talento brasileiro, que viajava para competir na categoria até 60kg ao lado de Felipe Kitadai, medalhista olímpico e único brasileiro acima de sua posição no ranking até aqui.

“Voltei a ganhar campeonatos e, com mais experiência, consegui minha vaga e fui chamado para o Mundial”, relembra o judoca, que fala do clima na Seleção. “Eu já conhecia praticamente todo mundo, mas viajar com a Seleção Principal para um Mundial é outro clima. Foi um aprendizado muito grande essa atmosfera”.

O brasileiro venceu suas duas primeiras lutas no Mundial. Diante do suíço Ludovic Chammartin ganhou com um belo ippon. Já na segunda luta, venceu após o ucraniano Hevorh Hevorhyan receber quatro punições.

A vitória deu a chance ao jovem de 23 anos de chegar até as oitavas-de-final contra o russo Beslan Mudranov, quarto colocado no ranking mundial na época e que conquistaria a prata horas depois. Lutando contra o ginásio que contou com uma boa presença do público, Takabatake acabou sofrendo um ippon com cerca de um minuto de combate.

“No dia da minha luta eu não dormi direito, estava ansioso, mas na hora acabei não ficando tão nervoso, isso não me atrapalhou. Por incrível que pareça, nas duas lutas primeiras lutas, não achei que fui tão bem, e acabei ganhando. Já na terceira eu achei que entrei bem, mas acabei perdendo. Foi uma experiência boa, mas claro que gostaria de ter ido ainda melhor”, comenta Eric. Com certeza esse aprendizado ajudará a subir ainda mais nos próximos anos.

historia6

Eric pretende continuar sua caminhada rumo às primeiras posições do ranking mundial nos próximos anos. “Tenho a meta de disputar outro Mundial e ir mais longe”, comenta.

Fora isso, o objetivo de Eric é estar nos Jogos de Tóquio, em 2020. Apesar dos anos de experiência na modalidade, o judoca ainda é um atleta jovem, o que aumenta suas chances de disputar a Olimpíada.